Stop

Essências Terra Luz.a Primavera Verão Outono Inverno Quintessências Potencializadores

Essências Vibracionais Terra Luz.a®

A sintonia da preparação de essências florais faz-se geralmente de acordo com o Sol ou com a Lua. 
As essências vibracionais Terra Luz.a® são exclusivamente essências solares, fundamentadas nas 4 idades do homem, nos seus 4 estados de maturação com os respetivos 4 arcanjos que os guiam através dos 4 elementos, ao longo das 4 estações do ano.

O ano é feito á imagem do homem. Mais propriamente, o homem é feito á imagem das 4 estações do ano, segundo a filosofia chinesa. Há milhares de anos atrás os chineses eram proibidos de dissecar cadáveres porque acreditavam que deveriam conservar intactos os corpos dos seus ancestrais para que após a morte, pudessem vir a ter uma vida mais saudável. Houve então necessidade de criar uma técnica médica baseada em estudos intuitivos e observações da Natureza, mais propriamente da ordem Cósmica, ordenando as analogias entre os nossos órgãos e a Natureza. Daí o acreditarem que o ser humano tem quatro membros porque são quatro as estações do ano; cada membro é formado por três partes porque são três, os meses que formam uma estação. E assim por diante.

A filosofia chinesa defende uma teoria evolucionista do processo da criação. Uma vez iniciado o movimento, aparece o repouso, que será seguido pelo movimento. Este processo não se detém nunca e explica a origem dos elementos e de todo o Universo, incluindo o ser humano. Observaram então as energias que regem a Natureza procurando o equilíbrio dos organismos com o seu ambiente. Equilíbrio entre o Microcosmo (homem) com o Macrocosmo (Universo). Este equilíbrio é a saúde.

O Universo é um organismo vivo e dinâmico, composto por uma energia cósmica primordial da qual derivam todas as coisas existentes. O nosso organismo é uma cópia deste Universo e, portanto, sujeito às mesmas leis da Natureza.


PRIMAVERA

A Primavera, que renova o mundo, é a imagem do Batismo, que renova o homem no começo da sua vida. é Primavera, o perfume paira no ar, a sua fragrância deleita-nos, acorda-se a certeza de um novo começo. As árvores cobrem-se de folhas e pequenos brotos explodem em cada planta, promessas de futuros frutos. Nas brisas frescas matinais, as gotas de orvalho banham os botões que a seu tempo se abrirão em flor.

É como a Infância, a primeira fase da vida, em que o ser vai tomando consciência de si mesmo, aprendendo a ser auto-suficiente, e faz o RECONHECIMENTO de quem é e qual é a sua própria história. Tal como na agricultura, é preciso estar atento à flor, para que o futuro fruto seja saudável e possa vir a vingar com boa qualidade. à Primavera corresponde o nascimento, a infância, a adolescência.

O Arcanjo RAFAEL (SAÚDE DE DEUS) rege a Infância e o sistema rítmico, a respiração e o sangue, que atuam através do coração. é aqui a Páscoa e o Equinócio, quando a natureza que esteve latente durante o Inverno anterior, explode na vida que o calor do verão fará amadurecer. RAFAEL representa o próprio MERCÚRIO, a TERRA, aquele que aporta a cura, a saúde.


VERÃO

O Verão, com o seu calor e luz resplandecente, abre-nos para a verdade da natureza a amadurecer.
Chega com ele a fartura dos frutos que precisam de ser protegidos das epidemias, para que as colheitas venham a ser fartas. Chegam também os incêndios florestais (…e os da alma, com as avassaladoras paixões juvenis…) que devem ser dominados. Ao Verão corresponde a culminação da manifestação da energia. Lembra-nos a "Mocidade", essa fase em que tudo pode acontecer se o jovem não tiver a orientação adequada. é a época da abertura para o mundo, do pleno AMADURECIMENTO, da descoberta de novas formas de conduta, novos caminhos e decisões rumo a novos horizontes. Corresponde ao jovem recém chegado ao mundo dos adultos, pleno de vigor e infinitas promessas no coração.

O Arcanjo URIEL (FOGO DE DEUS) rege a época do Verão no hemisfério norte. URIEL é o próprio FOGO – que está no centro da TERRA, emanando o Fogo da Criação e da Purificação. No Verão, ele ascende desde a Terra para o Cosmos, a fim de gerar a vida infinita, e cumprir a LEI. é o fogo que purifica e esgota o carma – levando ao Dharma pessoal.


OUTONO

O Outono, estação das vindimas, representa a colheita daquilo que tivermos semeado. As árvores despem-se de folhas, recolhem a seiva ao centro do seu coração, a terra esconde agora nas suas profundezas o calor do Sol que a aqueceu durante o Verão. O céu enche-se de nuvens, anunciando a proximidade das primeiras chuvas. Ao Outono corresponde um período de equilíbrio e depois de retração.

A Maturidade, a terceira fase da vida com a consciência desperta é para ser vivida em PLENITUDE, é tempo de integrar as lições e os conhecimentos aprendidos nas anteriores fases e dar o fruto, preparando-se para a nova estação que se aproxima. é também o tempo de consolidar convictamente os alicerces espirituais que permitirão alcançar um novo degrau na escala evolutiva.

O Arcanjo GABRIEL (HOMEM DE DEUS) rege a força da vida madura, o pensamento e a revelação, o AR e a MENTE madura, os sistemas neuro-sensorial e metabólico – através da alimentação e da higiene. GABRIEL – é a própria LUZ PRATEADA da sensibilidade plena e da inspiração.


INVERNO

O Inverno, simbolizado pela Morte (Transformação), aguarda todo o mundo manifestado e por assim ser, também o homem. É tempo de recolher, de rever a vida e os seus resultados, de reconhecer e rejubilar com as suas realizações. A terra aconchega já a vida que teimará em viver na próxima Primavera, nas suas profundezas… lance-se então à terra as novas sementes!

Ao Inverno corresponde a fase menor da manifestação ou da coagulação, onde se situa a culminação do inativo. A Velhice chega quando a sabedoria, a experiência e a compaixão se instalaram com toda a propriedade no ser em plena REALIZAÇÃO e lhe é permitido desfrutar disso em alegria, dando norte às próximas gerações. É quando a unidade interior se fez com o Universo em cada um, e o passado o presente e o futuro se acomodam dentro do coração, em uníssono, como as folhas que caíram das árvores e fermentam já a nova Vida!

O Arcanjo MICHAEL (VERDADE DE DEUS) é o próprio SOL que fecunda a ÁGUA, onde começa e termina a união entre o Divino e o Humano. No equinócio de Inverno, pelo solstício, quando o dia é curto e a noite longa, MICHAEL desce ao centro da Terra, como no Gólgota, quando Jesus se tornou o CRISTO. MICHAEL é ouro puro que do coração central do sol na mente de Deus, penetra no coração central da mente do homem, emanando valor, audácia e coragem para caminhar rumo à Glória de Deus, liberto da prisão da personalidade. Pelo Natal, as almas encarnam na terra para virem aqui resolver as suas pendências cármicas – segundo as ordens dos Senhores do Mundo – para que a evolução planetária e humana possa continuar.

Por tudo isto, as Essências Vibracionais Terra Luz.a se organizam divididas pelas 4 estações do ano:
A Primavera contém essências de RECONHECIMENTO
O Verão contém as essências de AMADURECIMENTO
O Outono engloba as essências de PLENITUDE
E o Inverno aponta as essências de REALIZAÇÃO

Também por isso, nasceram as QUINTESSÊNCIAS TERRA LUZ.A, compostos vibracionais direcionados a um propósito, onde os Arcanjos ancoram o auxílio na passagem entre as 4 idades do homem...

...e ainda os 2 compostos da Maestria Interior,

“...Quando não sabes mais como ir adiante, deixa que as plantas te digam, as plantas que deixas desabrochar, crescer, florescer e purificar dentro de ti. Aprende a linguagem das flores.”
Albert Steffen

Como tudo começou...

Li há muito tempo não sei onde, que o sonho de cada terapeuta floral é desenvolver a sua própria linha, mais tarde ou mais cedo.

Não dei muita importância porque afinal de contas, do que eu mais gosto é de ouvir as pessoas e deixar-me guiar na intuição de encontrar o composto vibracional adequado ao viver das suas transições vitais da melhor maneira possível…

E assim foi sendo durante os largos anos que se passaram desde o meu fulminante 1º encontro com os florais de Bach.
Foi sendo e foi sendo, até a Camarinha “começar a falar” de cada vez que eu passava por ela nas dunas, a caminho da praia.

E durante os últimos 5 verões não me deixou em paz, sempre que passava por ela em flor, fruto ou em dormência vegetal, quando o vento uiva na beira da falésia e o mar cresce para a terra, a tentar conquistá-la no seu abraço de amor… a camarinha dizia: Então? Como é…?

Insidiosamente como um vírus, foi ocupando espaço que não abandonava mais, instalando-se “…como um poçeiro, dentro do meu coração” lá diz Bethania na sua canção. Instalou-se e não saiu mais de lá e o pior é que foi chamando outras e quando dei por mim tinha dentro uma lista de plantas silvestres a clamarem e a enredarem-se-me à volta dos pensamentos e das ideias, sem descanso.

E eu sem espaço adequado nem intenção nenhuma de preparar florais, em todo o mundo milhares de preparadores já tinham feito isso, há actualmente milhares de essências maravilhosas de tudo quanto é flor necessária para todos os estados de alma, não é a minha praia essa, fico realizada de cada vez que alguém sai de perto de mim com o composto “na mouche” para as suas necessidades…. Não, este filme não é meu. Moro na cidade onde as plantas são sordidamente poluídas, não tenho tempo nem condições, enfim eu usei todos os argumentos que sabia e pude.
Mas ela lá.
De pedra e cal.
De pedra e cal a Camarinha e as suas companheiras a viverem os seus Outonos e Primaveras, dentro de mim e eu com elas.

Até o dia H, em que uma amiga-irmã me disse que tinha uma casa na sua herdade alentejana à minha espera para eu fazer pesquisa se quisesse. Inesperadamente assim, uma herdade de montado de sobro certificada biologicamente, pode?
Como uma desfolhada logo ali a Camarinha mandou com todos os meus argumentos por terra.
Fez-me render à evidência do inadiável…
à evidência da Terra-Luz.a, fazer o quê?

A 14 de Janeiro de 2007 morre a minha mãe.
“Aprendi de pequena a honrar meu pai e minha mãe” e algo profundo e intimo se “ligou” aos campos brancos de camomila, naquele Inverno frio e chuvoso desta região do Alentejo... e se não faz frio chove e se não chove faz frio e os dias escorrem como pérolas sobre os vidros gelados das janelas...
...enquanto as lareiras deixam o mundo a cheirar a castanha assada... 
...até o sol espreitar e pôr tudo a cintilar, outra vez!
Embora outras flores me pedissem trabalho sobre elas há mais tempo, a minha própria necessidade de nutrição com a energia materna, pede que me estenda sobre este campo branco de Camomila.
Remeto-me a um manto de neve cobrindo a terra, o manto protetor da energia materna sobre os seus filhos que esta planta representa...
e eu tanto necessito neste momento…
...em que o buraco negro da dor ocupa todo o espaço onde habitava a minha alma…
aconchego-te,
acolho-te,
aconcentro-te minh´Alma,
num manto de pétalas brancas de Camomila, para que te redescubras órfã-mãe de ti mesma... para que te deixes embalar neste manto diáfano e serenes a saudade no veludo branco das minhas pétalas, para que me devolvas o amor agora inútil que lhe tinhas, e possas parir o teu propósito maior, aqui. Agora.
A dor da perda recente do Ser que me trouxe à vida, impulsiona-me a vagar pelos campos de camomila absorvendo a cura… Esta planta é a mais pura doação.

E assim começou para mim esta aventura onde, de alma e corpo o meu Ser mergulhou…
Perdi minha mãe, é certo….
Mas, oh! Espanto!
Enxertou-se-me dentro no seu inefável espaço, todo o Ramo e Flor, Broto ou Semente, Botão e Rebento! Estou íntima da Formiga e da Abelha, da Carocha e do Inseto, do Pulgão e da Cochonilha, da Chuva e da Lua, do Sol e do Vento, do Orvalho e da Geada…
Os meus dias preenchem-se com Anjos e Devas, Gnomos e Duendes, Fadas e Silfos e demais Espíritos da Natureza que honro e me desvendam o seu tecer da vida Una.

E por isso, a este AMOR que me transcende e comanda, me extasia e perturba, me nutre e enleva e se renova a cada dia - ao fazer de cada flor o meu propósito e razão de Ser - estou GRATA por me revelar a verdadeira VIDA!

Eveline